As cartas de Jane Austen traduzidas III – Setembro de 1796

A cada carta de Jane Austen que eu leio, mais eu admiro a pessoa que ela era (da escritora eu já sou fã faz tempo). É cada comentário que eu tenho certeza de que conviver com ela era, no mínimo, divertido rs! Em uma das cartas abaixo, está uma das frases dela que eu mais gosto: “What dreadful hot weather we have! It keeps one in a continual state of inelegance“. Eu amo o calor (mil vezes mais que o inverno – hoje, por sinal, está um frio insuportável aqui onde eu moro), mas acredito que naquele tempo – quando os desodorantes ainda não tinham sido inventados – os dias bem quentes deviam ser complicados, para dizer o mínimo. Mas diz aí: quer um jeito mais elegante de reclamar disso do que dizendo que “as pessoas ficam em um contínuo estado de deselegância”? É muita classe! rs!

“Rowling, quinta-feira, 15 de setembro [de 1796]

Nós estivemos muito animados desde a última vez que escrevi; jantando em Nickington, voltando sob a luz da lua, e tudo bastante elegante, sem mencionar o cortejo fúnebre do Sr. Claringbould que vimos passar no domingo.

Eu acredito que te contei em uma carta anterior que Edward teve uma ideia de adotar o nome Claringbould; mas esse esquema está acabado, embora fosse um plano muito aceitável e muito agradável, se alguém adiantasse a ele algum dinheiro para começar. Nós esperávamos que o Sr. Milles fosse fazer isso na terça-feira, mas para nossa grande surpresa nada foi dito sobre o assunto e a não ser que você possa ajudar seu irmão com quinhentas ou seiscentas libras, ele deve abandonar completamente a ideia.

Em Nickington nós vimos o retrato de lady Sonde sobre a lareira na sala de jantar, e os retratos dos três filhos dela na antessala, além do Sr. Scott, da Srta. Fletcher, do Sr. Toke, do Sr. J. Toke e do arquidiácono Lynch. Eu e a Srta. Fletcher fomos muito amigáveis, mas eu era a mais fina entre nós duas. Ela usou uma musselina roxa, que é bonita o bastante, embora não enalteça sua compleição. Há duas características no caráter dela que agradam – nominando-as: ela admira Camilla e não coloca creme no chá. Se você vir a Lucy alguma hora, você pode dizer que eu repreendi a Srta. Fletcher em razão de sua negligência para escrever, como ela [Lucy] queria que eu fizesse, mas não fui capaz de fazê-la [Srta. Fletcher] sentir nenhum senso próprio de vergonha – e que a Srta. Fletcher alega em sua defesa que como todo mundo que Lucy conhecia quando estava em Canterbury deixou o local, ela não tem nada sobre o que escrever. Por todo mundo, eu suponho, a Srta. Fletcher quer dizer um novo grupo de oficiais que chegou lá. Mas essa é uma nota de minha autoria.

A Sra. Milles, o Sr. John Toke e, em resumo, todo mundo com alguma sensibilidade, perguntaram afetuosamente por você, e eu aproveitei uma oportunidade para assegurar ao Sr. J. T. que nem ele e nem seu pai precisam se manter solteiros por sua causa.

Nós fomos em duas carruagens para Nickington; mas deixo que você conjecture como foi que nos dividimos, apenas observando que, como Elizabeth e eu estávamos sem chapéu ou bonnet, não seria conveniente para nós que tivéssemos que ir na chaise. Nós fomos por Bifrons, e eu contemplei com um prazer melancólico a casa daquele a quem um dia eu carinhosamente doei. Nós jantamos em Goodnestone hoje, para encontrar minha tia Fielding de Margate e um Sr. Clayton, admirador professado dela – ou pelo menos é o que imagino. Lady Bridges recebeu notícias muito boas de Marianne, que já se sente melhor em razão dos banhos.

Então sua alteza real Sir Thomas Williams finalmente zarpou; os jornais dizem “em um cruzeiro”. Mas eu espero que eles tenham ido para Cork, ou eu terei escrito em vão. Mande meu amor para Jane, já que ela deve ter chegado em Steventon ontem, me atrevo a dizer.

Eu enviei uma mensagem de Edward para o Sr. Digweed em uma carta para Mary Lloyd, a qual ela deve receber hoje, mas como eu sei que os Harwoods não são muito fiéis aos conteúdos de suas cartas, eu posso muito bem repetir para você. O Sr. Digweed está para ser informado de que a doença impediu que Seward viesse para dar uma olhada nos reparos que devem ser feitos na fazenda, mas que ele virá assim que puder. O Sr. Digweed também pode ser informado, se você considerar apropriado, que o Sr. e a Sra. Milles irão jantar aqui amanhã, e que a Sra. Joan Knatchbull será convidada para se juntar a eles. O enlace do Sr. Richard Harvey será adiado até que ele consiga um nome melhor, no que ele tem grandes esperanças.

Os dois filhos do Sr. Children, John e George, irão se casar. Eles terão uma esposa entre eles, uma Srta. Holwell, que vem do Buraco Negro de Calcutá. Eu devo receber notícias de James em breve; ele me prometeu um relato do baile, e a essa hora ele já deve ter juntado suas ideias, depois da canseira de dançar, para me fornecer um.

Edward e Fly saíram ontem bem cedo em um par de casacos de caça, e voltaram para casa desanimados, uma vez que não mataram nada. Eles saíram hoje de novo, e ainda não retornaram. Esporte encantador! Eles acabaram de chegar em casa, Edward com suas duas braçadeiras, Frank com duas e meia. Que jovens agradáveis!

Sexta-feira – Sua carta e uma de Henry acabaram de chegar, e o conteúdo de ambas concordam com meu esquema mais do que eu esperaria. Por um lado eu poderia ter desejado o oposto, já que Henry é, de fato, muito indiferente. Você não deve nos esperar tão cedo, mas na quarta-feira, dia 20 – nesse dia, de acordo com nossos planos atuais, nós devemos estar com você. Frank nunca teve a intenção de ir embora antes de segunda-feira, dia 26. Eu irei escrever para a Srta. Mason imediatamente e pressioná-la para voltar conosco, o que Henry acha que é muito provável e particularmente aceitável.

Compre o vestido de Mary Harrison de qualquer forma. Você tem todo o meu dinheiro para sempre, embora, se eu estiver toleravelmente rica quando chegar em casa, eu devo gostar muito disso.

Sobre como iremos até a cidade, eu quero ir em uma carruagem do correio, mas Frank não vai deixar. Como é provável que você tenha a companhia dos Williams e dos Lloyds na próxima semana, você dificilmente conseguiria espaço para nós. Se alguém quiser algo da cidade, eles devem enviar os pedidos para Frank, já que eu somente irei passar por lá. O fabricante de velas chama-se Penlington, no Crown and Beehive, Charles Street, Covent Garden”.

“Nós sabemos que os Austen compravam velas de cera de Penlington, um fabricante de velas que praticava seu ofício perto do Crown and Beehive, Charles Street (hoje Wellington Street), a uma pequena caminhada da Covent Garden Piazza e de Henrietta Street. Evidentemente era um local que produzia velas superiores, já que a família encomendava as velas pelo correio”.
(Fonte: Jane Austen London)
“Rowling, Domingo, 18 de setembro [de 1796]

Minha querida Cassandra – Essa manhã se passou com dúvidas e deliberações, com a formação de planos e a remoção de dificuldades, pois um dia que eu não esperava que chegasse tão cedo foi adiantado em uma semana. Frank recebeu ordens para embarcar no Captain John Gore, comandado pelo Triton, e, portanto, será obrigado a estar na cidade na quarta-feira; e embora eu tenha toda a disposição do mundo para acompanha-lo nesse dia, eu não posso ir ante a incerteza de os Pearsons estarem em casa, uma vez que eu não teria um lugar para ir se eles não estiverem.

Eu escrevi para a Sra. P. na sexta-feira, e esperava receber uma resposta dela esta manhã, o que tornaria tudo mais fácil, e permitiria que partíssemos amanhã, como Frank, assim que recebeu suas ordens, tinha a intenção. Ele ficará aqui até a quarta-feira apenas para me acomodar. Eu escrevi novamente para ela hoje, e queria que ela me enviasse uma resposta pelo mesmo correio. Na terça-feira, portanto, eu definitivamente saberei se eles pode ou não me receber na quarta-feira. Se eles não puderem, Edward fez a gentileza de prometer em me levar até Greenwich na próxima segunda-feira, que é o dia antes do determinado, se assim for melhor para eles. Se eu não receber nenhuma resposta até terça-feira, eu devo presumir que Mary não está em casa, e devo esperar notícias, já que depois de tê-la convidado para vir até Steventon comigo, ir para casa e não tocar mais no assunto não será possível.

Meu pai fará a gentileza de levar sua filha pródiga para casa, eu espero, a não ser que ele queira que eu ande pelos hospitais, entre em algum templo ou monte guarda em St. James. Dificilmente Frank poderá me levar para casa – não, ele certamente não poderá. Eu prometo escrever novamente assim que eu chegar em Greenwich.

Que calor horroroso está fazendo! Deixa as pessoas em um contínuo estado de deselegância.

Se a senhorita Pearson for retornar comigo, por favor, tenha cuidado para não esperar por muita beleza. Eu não vou fingir e dizer que, a primeira vista, ela fez jus à opinião que eu tinha formado sobre ela. Minha mãe, tenho certeza, ficará desapontada se não tomar cuidado. Pelo que eu me lembro de sua figura, não tem muita semelhança.

Eu estou muito feliz que a ideia de retornar com Frank me ocorreu; já que no que diz respeito a Henry vir para Kent de novo, a época em que isso irá ocorrer é tão incerta que eu devo esperar até sua morte. A princípio, eu estava determinada a partir com Frank amanhã e arriscar minhas chances, etc., mas eles me dissuadiram dessa atitude impensada que, pensando e considerando agora, eu realmente acho que seria; pois, se os Pearsons não estiverem em casa, eu inevitavelmente cairia na lábia de uma mulher gorda que iria me embebedar com uma cerveja barata.

Mary deu a luz a um menino – os dois estão muito bem. Eu irei deixar que você adivinhe de qual Mary eu estou falando. Adieu, com todo o amor para todos os seus colegas agradáveis. Não deixe que os Lloyds contem nada antes que eu retorne, a não ser que a senhorita P. não participe da festa. Como eu escrevi mal! Estou começando a me odiar.

Sua, J. Austen”.

Espero que tenham gostado!

Com carinho, Roberta.

A imagem em destaque foi retirada daqui.
Postado por: Roberta Ouriques

Comentários

Posts relacionados