Até os confins do mundo (2005)

Essa série foi uma ótima surpresa para mim. Eu a encontrei por acaso (procurando séries de época na netflix!) e achei muito interessante. Na época, eu estava pesquisando bastante sobre a vida em alto-mar nos tempos das guerras napoleônicas, e essa série caiu como uma luva. Embora não seja um programa especificamente sobre guerra, se passa durante aquela época e mostra em detalhes a vida dentro de um navio no início do século XIX. Ela é uma adaptação de uma trilogia de mesmo nome do autor William Golding. Infelizmente, nenhum dos livros foi publicado em português. Eu até comprei o livro em inglês, mas como ainda não li, não posso emitir nenhuma opinião. Mas está na minha lista, ein?

Como todas as séries de época da BBC, Até os confins do mundo não deixa a desejar. Mas vamos conhecer um pouco mais sobre ela?

Em Até os confins do mundo (título original: To the ends of the earth), nós somos apresentados a Edmund Talbot (interpretado por Benedict Cumberbatch), um jovem aristocrata. Ele embarca em uma viagem de seis meses para a Austrália, onde seu influente padrinho conseguiu um posto para ele junto do governador de Nova Gales do Sul.

Edmund ocupa parte de seu tempo escrevendo em seu diário, onde narra todos os acontecimentos marcantes do dia a dia dentro da embarcação, além de anotar seus pensamentos sobre os passageiros das mais variadas classes sociais. E são personagens muito interessantes!

O navio é comandado pelo capitão Anderson (interpretado por Jared Harris) e eu simplesmente me apaixonei por ele. Já gostava bastante do ator, e vê-lo interpretar um papel desses só aumentou minha admiração. Anderson é um homem sério e honrado, e não mede esforços para tornar a viagem tranquila para todos os passageiros – mesmo que seus métodos não sejam muito populares.

Outros personagens que chamaram minha atenção foram os tenentes Summers e Deverel. Com personalidades bem distintas, os dois lidam de forma bem diferente com suas funções e suas ordens. E é claro que não posso esquecer dos marinheiros (um deles é interpretado por Joseph Morgan, que eu amo!). A vida desses homens era complicada, e, comparando com minhas pesquisas amadoras, eu achei que a série demonstrou bem como era a vida deles quando estavam de serviço.

Mas a vida dos civis não é esquecida não! Ao longo dos três episódios, nós também vamos acompanhando as histórias do reverendo Colley, da senhorita Graham, do Sr. Prettiman, entre outros, e é claro que Edmund se vê metido em confusões com todos. Aliás, devo dizer que gostei bastante do protagonista. Sendo um rapaz bem-nascido (um perfeito cavalheiro), e sem muita experiência com os perrengues da vida, Edmund sofre um pouco para se acostumar com sua “nova realidade”. Algumas situações são bem cômicas!

Para finalizar, vou falar: tem romance? Tem. Bastante? Não. Mas esse não é o foco da série. Então se você quer suspirar, talvez essa não seja a escolha ideal, mas se quer assistir um programa bem divertido e, de quebra, descobrir como era passar seis meses dentro de um navio (spoiler: tem baile!), fica aí uma dica de ouro 🙂

Espero que tenham gostado!

Com carinho, Roberta.

Postado por: Roberta Ouriques

Comentários

Posts relacionados