Resenha: Série Os sedutores de Havisham – Lorraine Heath

Livro 1: Codinome Lady V (título original: Falling into bed with a duke), editora Gutenberg, 252 páginas

Livro 2: O segredo do conde (título original: The earl takes all), editora Gutenberg, 284 páginas

Essa é uma série de quatro livros (um é uma novela) com as histórias do duque de Ashebury, do conde de Greyling e do visconde Locksley (o quarto é sobre o marquês de Marsden). O que une esses personagens é uma tragédia: quando eram crianças, Nicholson Lambert, o duque de Ashebury, e Albert Alcott, o conde de Greyling (e seu irmão gêmeo, Edward) perderam os pais. Por causa disso, foram enviados para viver sob a tutela do marquês de Marsden, um lunático, e seu filho, Locksley.

Eu preciso dizer o quanto eu amei essa premissa? O fato de que esses meninos, esses amigos, amam uns aos outros como irmãos? Muita coisa podia vir disso!

O primeiro livro da série, Codinome Lady V , foi meu primeiro contato com Lorraine Heath. Na verdade, quando eu comprei esse livro, eu quase esqueci dele na estante. Foi mês passado que decidi ler, depois de uma amiga me dizer que amou a história… e bem, eu também amei! Segue a sinopse:

Cansada de rejeitar pretendentes interessados apenas em seu dote escandalosamente vultoso, Minerva Dodger decide que é melhor ser uma solteirona do que se tornar a esposa de alguém que só quer seu dinheiro. No entanto, ela não está disposta a morrer sem conhecer os prazeres de uma noite de núpcias e, assim, decide ir ao Clube Nightingale, um misterioso lugar que permite que as mulheres tenham um amante sem manchar sua reputação.

Protegida por uma máscara e pelo codinome Lady V, Minerva mal consegue acreditar que despertou o desejo de um dos mais cobiçados cavalheiros da sociedade londrina, o Duque de Ashebury. E acredita menos ainda quando ele começa a cortejá-la fora do clube. Por mais que ele seja tudo o que ela sempre sonhou, Minerva não pode correr o risco de ele descobrir sua identidade, e não vai tolerar outro caçador de fortunas.

Depois de uma noite de amor com Lady V, Ashe não consegue tirar da cabeça aquela mulher de máscara branca, belas pernas e língua afiada. Mesmo sem saber quem ela é, o duque nunca tinha ficado tão fascinado por nenhuma outra mulher antes.Mas agora, à beira da falência, ele precisa arranjar muito dinheiro, e rápido. Sua única saída é se casar com alguma jovem que tenha um belo dote, e sua aposta mais certeira é a Srta. Dodger, a megera solteirona que tem fama de espantar todos os seus pretendentes.

Em resumo: a senhorita Minerva Dodger está cansada de caçadores de fortuna que não se importam com ela. Como não está ficando mais nova (e lembrem-se: estamos no século XIX), ela decide que merece uma noite de paixão, que merece se sentir querida por pelo menos uma noite durante sua vida. Com isso em mente, ela ingressa no clube Nightingale, um clube tanto para homens e mulheres que procuram prazer – e nenhum compromisso. As regras são: as mulheres usam máscaras e os homens se vestem como se estivessem indo para um evento formal. No clube, Minerva imediatamente se sente atraída pelo duque de Ashebury… e a atração é recíproca.

E é assim que a história de amor deles começa!

Minerva é uma excelente personagem! Uma mulher de personalidade, inteligente e divertida, que não tem medo de dizer o que pensa e de buscar a própria felicidade. Eu também amei a família dela e o plano de fundo em que ela foi inserida. Infelizmente, eu ainda não li o livro sobre o irmão dela, mas parece que é ótimo, e eu tenho certeza que Minerva deve ter uma ou outra participação por lá. De qualquer forma, Minerva tem todas essas qualidades, mas ainda sobra espaço para alguma insegurança. Em razão de seu dote generoso, Minerva conseguiu a atenção de vários pretendentes… mas nenhum deles parecia gostar dela. E isso fez com que ela pensasse que não tinha o necessário para atrair o sexo masculino.

Mas Nicholson Lamber, também conhecido como o duque de Ashebury, prova que ela está errada. Ele fica instantaneamente fascinado por Minerva – mesmo que não saiba quem ela é. Ela está usando uma máscara na primeira vez que eles “se encontram”, mas tudo nela o intriga: o corpo, a voz, a boca, o cabelo, o cheiro. Ele logo descobre quem ela é, mas ao invés de contar a ela que descobriu o segredo, ele continua fingindo não saber quem é a mulher do clube. E começa a cortejar Minerva na vida real.

Mas é claro que não seria tão simples assim né? Pra começar, Minerva está sempre duvidando das atenções de Ashe. E tudo se complica ainda mais quando ela descobre que seu amado duque está falido. Então Ashe precisa fazer o que for preciso para provar para Minerva que a ama e que iria querer tê-la para si de qualquer forma – tendo ou não dinheiro.

É um ótimo livro! Divertido, sensual e muito tocante. Eu já falei isso antes, mas vamos lá novamente: Ashe sofreu uma grande perda na infância, mas em razão dessa perda, ele ganhou três irmãos. A relação deles é bem explorada durante o livro e é uma das melhores partes da narrativa. Também a química entre os personagens principais. É como se Minerva e Ashe tivessem sido feitos um para o outro: eles completam um ao outro. Onde um é vazio, o outro é cheio. Parece um relacionamento que daria certo na vida real (se homens como Ashebury existissem hahaha).

Também, é nesse primeiro livro que nós somos apresentados aos personagens principais do segundo livro, O segredo do conde – que, para mim, é ainda melhor que o primeiro! Na verdade, acho que esse livro se tornou um dos meus romances de época favoritos (e sim, é necessário ler Codinome Lady V para ler O segredo do conde). Segue a sinopse:

Em uma noite de verão, Edward Alcott cede à tentação e beija Lady Julia Kenney nas sombras de um jardim. A paixão que se agita dentro dele, no entanto, precisa permanecer oculta, porque a jovem está noiva de seu irmão gêmeo, o Conde de Greyling. Mas quando uma tragédia atinge família dele, Edward faz um voto ao irmão doente, fingindo ser Greyling até que a condessa dê a luz ao primeiro herdeiro.

Depois que ele retorna de uma viagem de dois meses, Julia encontra um marido mudado, mais ousado e perverso, mesmo que limite seus encontros a beijos. E, a cada dia, ela se apaixona mais profundamente por ele.

Para Edward, as brumas do desejo provocadas naquela noite tempos atrás são rapidamente reavivadas. Ele anseia ser o verdadeiro marido dela. Mas deve se atrever a arriscar tudo e revelar seus segredos?

​​A sinopse já faz a gente querer devorar o livro (e confesso que para mim, uma super-fã de A Usurpadora, a premissa da história era basicamente tudo que eu queria hahaha). Eu estava bem curiosa para saber como o livro terminaria, já que, em razão da legislação vigente na época, Edward e Julia estavam impedidos de casar e quase todos os romances de época terminam com um casamento. Tudo o que posso dizer sem soltar nenhum spoiler é que, apesar de um tantinho previsível, o final é excelente!

Edward Alcott, o irmão gêmeo mais novo – por uma hora – de Albert, o conde de Greyling, sempre nutriu sentimentos pela cunhada, Julia (sentimentos que começaram quando Edward beijou Julia em um jardim antes de ela e Albert casarem). Para Edward, a única coisa que ele pode fazer para conviver com esses sentimentos é destratar Julia o máximo possível – e assim evitar que sua afeição seja descoberta.

Julia também se sentiu mexida com o beijo de Edward, mas isso não impediu que ela casasse com Albert – quem ela amava –, e o casamento segue feliz até a morte do marido em uma viagem pela África. Mas Julia pensa que foi seu cunhado que morreu! Ela percebe que o marido está mudado, mas se convence de que é tudo em razão do luto de Albert. O problema é que ela passa a gostar mais desse “novo marido” do que do “antigo”… e esse sentimento se transforma em uma confusão quando Julia descobre que o “novo Albert” na verdade é Edward, seu cunhado que sempre a odiou.

Vou admitir: eu acho que é muito difícil que uma mulher não conseguisse diferenciar o marido do irmão gêmeo, mas nós estamos falando de ficção, então tudo é possível. E isso dito…

É um livro maravilhoso! Eu gostei de praticamente tudo nele: Edward, Julia e o fato de que a autora conseguiu fazer com que nós gostássemos e sentíssemos falta de Albert, mas não o bastante para que a gente não conseguisse gostar do Edward. Outra coisa: eu não senti que o livro girava em torno de uma traição, embora algumas pessoas possam enxergar dessa forma. Na vida real, eu detestaria que a irmã que eu não tenho casasse com meu marido viúvo, mas, no livro, os sentimentos de Julia pelos dois irmãos foram trabalhados cada um com suas peculiaridades especiais e únicas.

Se você quer um livro divertido, sensual, dramático e surpreendente, esse é o livro ideal 😊

E agora nos resta esperar a publicação do terceiro livro, né? Já estou ansiosa demais pra conhecer a história do Locke! Acho que ainda não saiu nenhuma notícia sobre o lançamento, mas considerando que Codinome Lady V foi lançado em 2017 e que O segredo do conde foi lançado em 2018, eu acredito que ainda vamos precisar esperar por 2019 (ainda bem que já está logo ali).

Apesar de ainda não ter concluído a série, eu achei que precisava indicar por aqui. Lorraine Heath com certeza vai se tornar uma das autoras dominantes na minha estante hehe.

Espero que tenham gostado!

Com carinho, Roberta.

Postado por: Roberta Ouriques

Comentários

Posts relacionados

Resenha: Desejo e Escândalo – Lorraine Heath

Editora HarperCollins Brasil, selo Harlequin, 304 páginas Título original: Beyond scandal and desire Tradução de Thalita Uba Depois de ler