The Last Kingdom (2015)

Ontem (dia 19/11/2018) estreou na Netflix a terceira temporada de The Last Kingdom, uma série baseada na série de livros As crônicas saxônicas de Bernard Cornwell. Eu já estava esperando a nova temporada já faz um tempo (acredito que há mais de um ano) e ainda vou precisar esperar até o fim de semana para assistir, já que essa série eu vejo junto com meu namorado. Mas pra começar a entrar no clima eu resolvi fazer a indicação aqui no blog ?

The Last Kingdom tem como protagonista Uhtred Uhtredson (interpretado por Alexander Dreymon), herdeiro de Bebbanburg, na Nortúmbria. Ainda criança, Uhtred perde o pai (interpretado por ninguém mais, ninguém menos do que nosso eterno Mr. Darcy, Matthew MacFadyen) e acaba sendo levado pelos pagãos (dinamarqueses, vikings, como preferirem). Uhtred, então, cresce com a família de Ragnar, e aos poucos acaba se afeiçoando com eles (e vice-versa): é quando ele se torna Uhtred Ragnarson. Sua vida parece que vai seguir por esse caminho até que o fim chegue, mas um ataque à família do Earl Ragnar faz com que tudo se modifique… e Uhtred acaba se aliando ao rei Alfredo – ainda que tenha alguns propósitos pessoais nessa aliança (leia-se vingança).

Diferente da série Vikings, The Last Kingdom nos mostra o lado dos saxões (ingleses, cristãos, como preferirem) durante as invasões vikings – e confesso que mesmo com Uhtred tendo sua parte pagã, fica difícil simpatizar com eles nessa série (com exceção de um ou outro momento). Ao contrário, nós torcemos muito pelo rei Alfred e seu exército. Esse exército, por sinal, é liderado por Uhtred, que conhece as estratégias dos dinamarqueses e adiciona esse conhecimento ao exército melhor equipado dos ingleses.

Mas é claro que nem todo mundo gosta de Uhtred. Afinal, ele está mais para pagão do que para cristão rs. E essa é uma das partes mais legais da série, essa dupla perspectiva do personagem. Ao mesmo tempo que Uhtred compreende suas origens, ele se identifica muito mais com o modo de vida dos dinamarqueses. Ao mesmo tempo que Uhtred quer recuperar a terra de seus ancestrais, ele não quer a vida de um lorde saxão. E ao mesmo tempo que ele quer se manter um ‘dinamarquês’, ele não consegue abandonar seu lado inglês.

Quem quer um Uhtred levanta a mão!

Outros personagens também têm seus momentos ao sol, como o rei Alfredo (interpretado pelo magnífico David Dawson), que mais tarde seria conhecido como Alfredo, o grande. Ele e Uhtred vivem uma relação complicada – o rei Alfredo precisa de Uhtred e Uhtred precisa do rei Alfredo, mas nem sempre os dois conseguem concordar com os meios para atingir seus propósitos.

Um dia eu pretendo ler os livros do Bernard Cornwell – mas esse dia ainda está longe rs (falta tempo). Por enquanto estou satisfeita com a série, e estou torcendo para ela continuar por muitos anos (especialmente agora que conta com o apoio da Netflix). Essa terceira temporada já estreou em todos os países ao mesmo tempo, diferente da segunda temporada, que demorou um pouco mais pra chegar no Brasil. É um bom sinal né? Aliás, a quarta temporada já está garantida.

Enfim, toda vez que eu termino uma resenha de algum seriado, eu sinto que falei muito pouco, mas quero salientar que indico muito The Last Kingdom, especialmente para quem gosta de Vikings. Tudo é um espetáculo, desde as locações até as cenas de batalhas (daquelas que você levanta do sofá de nervoso). Lembrando que as três temporadas (de oito episódios cada) estão disponíveis na Netflix ?

Espero que tenham gostado!

Com carinho, Roberta.

Imagens retiradas daqui.

Postado por: Roberta Ouriques

Comentários

Posts relacionados

Como seria Outlander se a versão original do filme tivesse sido realizada?

Essa é uma tradução de artigo publicado no dailyrecord.co.uk Hoje Outlander é um dos seriados mais famosos da TV, mas