As cartas de Jane Austen traduzidas – XI

“Queen’s Square, nº 13, Sexta-feira, 17 de maio

Minha querida Cassandra – nossa jornada de ontem transcorreu extremamente bem; não aconteceu nada para nos alarmar ou atrasar.
Nós encontramos as estradas em um ótimo estado, tivemos muita sorte com os cavalos durante toda a viagem e chegamos em Devizes com folga às quatro da tarde. Eu suponho que John tenha te contado como nós nos dividimos quando deixamos Andover, e nenhuma alteração foi feita depois disso. Em Devizes, conseguimos quartos confortáveis e um bom jantar, para o qual nos sentamos perto das cinco; dentre outras coisas, nós comemos aspargos e uma lagosta, que me fez pensar em você, e cheesecake, que foi uma janta tão deliciosa para as crianças, capaz de fazê-los amar Devizes por um longo tempo.

Bem, aqui estamos em Bath; nós chegamos aqui perto da uma da tarde, e chegamos há tempo suficiente para conhecer a casa, escolher nossos quartos e para ficarmos satisfeitos com o todo. A pobre Elizabeth fez uma triste jornada desde Devizes, pois choveu durante quase todo o percurso, e nossa primeira vista de Bath foi tão sombria quanto foi novembro passado.

Eu tenho muitas coisas para dizer, muitas coisas igualmente importantes e eu não sei por qual optar no momento, portanto vou sair e comer com as crianças.

Nós paramos em Paragon enquanto vínhamos, mas como estava muito úmido e sujo para sairmos, apenas conseguimos ver Frank, que nos disse que seu chefe estava muito indiferente, mas que tinha passado uma noite melhor do que de costume.
Em Paragon nós encontramos a Sra. Foley e a Sra. Dowdeswell com seu chale amarelo esvoaçante, e no final de Kingsdown Hill encontramos um cavalheiro em um buggy, quem, após analisarmos por um minuto, acabou sendo o Dr. Hall – e um Dr. Hall em um luto tão profundo que ou sua mãe ou sua esposa ou ele mesmo devem estar mortos. Esses foram todos os nossos conhecidos que já encontramos.

Eu tenho alguma esperança de ser atormentada em razão do meu baú; eu tinha mais há algumas horas, mas estavam muito pesados para a carruagem que trouxe Thomas e Rebecca de Devizes. Havia razão para supor que seriam igualmente pesados para qualquer outra carruagem, e não ouvimos falar, por bastante tempo, de nenhum outro vagão que aguentaria. Por fim, contudo, nós infelizmente descobrimos um que estava a ponto de partir para cá, mas de forma alguma o baú pode chegar aqui antes de amanhã. Por enquanto estamos seguros, e quem sabe o que pode acontecer para ocasionar novos atrasos?

Eu coloquei a carta de Maru no correio em Andover com minhas próprias mãos.

Nós estamos extremamente satisfeitos com a casa; os quartos tão bem espaçosos como esperávamos. A Sra. Bromley é uma mulher gorda que está em luto, e um pequeno gatinho preto fica correndo nas escadas. Elizabeth ficou com o quarto dentro da sala de estar; ela queria que minha mãe ficasse com ele, mas como não havia cama no quarto interior e as escadas são muito mais fáceis de subir, ou com minha mãe muito mais forte do que estava em Paragon para não se importar com o esforço duplo, ficou acertado que ficaremos no andar de cima, onde temos dois quartos de ótimo tamanho, com colchas sujas e tudo confortável. Eu fiquei com o quarto maior e com vista para fora, como eu deveria; ele é quase tão grande quanto nosso quarto em casa, e o da minha mãe não é muito menor. Ambas as camas são tão grandes quanto as de Steventon, e eu tenho uma cômoda muito bonita e um guarda-roupas cheio de prateleiras – tão cheio delas que não há mais nada nele, e ele devia, portanto, ser chamado de guarda-louças ao invés de guarda-roupas, eu suponho.

Diga à Mary que havia alguns carpinteiros trabalhando esta manhã na estalagem em Devizes, mas como eu não tinha como saber se eles eram conhecidos da Sra. W. Fowle, eu não me apresentei para eles.

Eu espero que a tarde hoje seja tolerável. Quando nós chegamos, guardas-chuva foram necessários, mas agora os pavimentos estão ficando brancos novamente.

Minha mãe não parece pior em razão da viagem, e também nenhum de nós, eu espero, embora Edward parecesse estar bastante cansado ontem à noite, e não muito energético nesta manhã. Mas eu acredito que todo o alvoroço de pedir chá, café, açúcar e etc., e que sair para provar um queijo ele mesmo, irá fazer bem para ele.

Havia uma longa lista das novas chegadas aqui ontem no jornal, então nós não precisamos temer uma solidão absoluta imediatamente; e há um café da manhã público toda manhã em Sydney Gardens, então nós não deveremos passar fome.

Elizabeth acabou de receber um ótimo relato dos três menininhos. Eu espero que você esteja muito ocupada e muito confortável. Eu não encontro dificuldades em fechar meus olhos. Eu gosto bastante da nossa situação; é muito mais alegre do que em Paragon, e a vista da janela da sala de vestir, onde eu escrevo neste momento, é um tanto quanto pitoresca, uma vez que me permite ter uma vista do lado esquerdo da Brock Street, quebrada por três álamos-negros do jardim da última casa na Queen’s Parade.

Eu estou bastante impaciente para saber do destino do meu melhor vestido, mas suponho que ainda levará alguns dias para que Frances consiga o baú.
Nesse meio tempo, e com muitos agradecimentos a você por ter feito isso, eu estou bem a ponto de distinguir minhas meias de seda.

Sua, afetuosamente,
Jane.”

Espero que tenham gostado!

Com carinho, Roberta.

A imagem em destaque foi retirada daqui.
Postado por: Roberta Ouriques

Comentários

Posts relacionados